Portal Agita Ih!
Corpo e Saúde Estilo de vida

Inteligência artificial revoluciona aparelhos auditivos

   Signia é pioneira no uso dessa tecnologia em aparelhos auditivos, que hoje superam a audição humana; Pró-Ouvir oferece os dispositivos da marca para toda a região. 

O futuro chegou! O que antes parecia algo muito distante e, talvez até imaginário, já faz parte do dia a dia das pessoas. A inteligência artificial está entre nós há anos, entretanto, nem sempre a percebemos, pois o que fazem é tornar a nossa vida mais simples.

Tudo teve início em 1952, quando Arthur Samuel escreveu o primeiro programa de aprendizado de computador que jogava damas. Esse trabalho revelou que o computador melhorava seu desempenho à medida que jogava, estudando quais movimentos criavam estratégias vencedoras e ia incorporando essas ações ao seu programa.

Ano após ano, a inteligência artificial foi ganhando espaço em praticamente todas as áreas do conhecimento. O primeiro aparelho auditivo com inteligência artificial disponível comercialmente foi o Centra – lançado em 2006 pela Siemens, atual Signia. Este dispositivo possuía ganho geral treinável por meio do controle de volume. Os pacientes “ensinavam” ao aparelho qual seu volume preferido e, depois de uma ou duas semanas de uso, os dispositivos aprendiam a sua preferência. Essa aprendizagem ocorria também nos diferentes recursos disponíveis no aparelho, de modo que outras situações específicas igualmente podiam ser treinadas automaticamente. Esse programa ganhou o nome de DataLearning.

O revolucionário Centra abriu as portas para a inteligência artificial nos aparelhos auditivos, o que cresceu exponencialmente ao longo do tempo. Em 2008, foi lançada a primeira versão do Siemens Pure, um aparelho auditivo receptor no canal ultratecnológico. Ele possuía o programa SoundLearning, uma evolução do DataLearning, que otimizou o ganho de qualidade de som para três diferentes níveis de entrada e quatro bandas de frequência.

A pioneira Siemens continuou inovando e, em 2010, lançou uma nova plataforma em que o sistema SoundLearning não precisava mais modificar programas para aprender. Começou, então, uma nova era nessa área, quando os aparelhos auditivos foram capazes de aprender por meio do mapeamento inteligente do ambiente, não tendo mais a necessidade de que o usuário mexesse em qualquer botão ou controle remoto. Em resumo, a máquina foi “aprendendo” (machine learning). “Atualmente, os aparelhos auditivos vão muito além de auxiliar na reabilitação da perda auditiva. A tecnologia super avançada permite que os pacientes ganhem conforto, qualidade de vida e autonomia, além de contar com diversas funções agregadas, que facilitam seu dia a dia”, comenta Dra. Vanessa Gardini, fonoaudióloga da Pró-Ouvir Aparelhos Auditivos, de Sorocaba (SP), autorizada Signia para toda a região.

Em 2016, a marca que tinha como seu legado a tradição e credibilidade no setor, sendo reconhecida mundialmente por isso, passou por uma transformação e, assim, teve início a era Signia, que atualmente é referência em inovação em aparelhos auditivos. Todos os dispositivos criados após essa mudança são comprovados por mais de 40 universidades e instituições credenciadas ao redor do mundo.

Há dois anos, a companhia surpreendeu mais uma vez, com o lançamento de uma linha high-tech de aparelhos, que chegou para mudar a percepção dos usuários,  contando com diversos recursos especiais, dentre eles: conectividade, aplicativo Signia, que oferece opções avançadas de controle remoto para alterar configurações e personalizar o dispositivo e as Ocean Waves, terapias sonoras com sons estáticos e modulados, complementares à terapia Notch, que podem reduzir os efeitos do zumbido e, até mesmo, fazê-los desaparecer. “Os modelos dessa linha são capazes de aprender a voz do usuário para que ela possa ser processada de forma independente e diferente dos demais sons ambientais e de fala. Esse algoritmo é chamado de OVP (Own Voice Processing) e é ativado por meio de um treinamento que leva tão somente cerca de 10 segundos”, explica Mônica de Sá Ferreira, fonoaudióloga de treinamento da Signia.

Tanta tecnologia empregada nos aparelhos auditivos está transformando a vida de quem sofre com perda auditiva, trazendo inúmeros benefícios e mais conforto para essas pessoas. “Faz, aproximadamente, seis meses que uso aparelho auditivo e a experiência está sendo incrível. Por exemplo, eu não preciso conectar fone de ouvido no meu celular, pois o aparelho já se conecta automaticamente com o telefone, então, eu atendo uma ligação, escuto música, vejo um vídeo, tudo isso direto do meu aparelho. Até mesmo para assistir à televisão é muito útil. Quando preciso aumentar ou diminuir o volume, posso fazer isso sem atrapalhar quem está ao meu lado, ajustando o volume direto no meu aparelho auditivo. E, é claro, a maior vantagem nisso tudo é poder ouvir novamente”, brinca Steffani Kelli Romão Amaral, usuária do aparelho modelo Signia Pure 7NX Charge&Go.

Os usuários dos aparelhos da marca, além de contarem com o que há de melhor e mais avançado no mercado, ainda participam de um programa de acompanhamento integral. “Quando o paciente adquire um desses aparelhos, ele automaticamente ingressa no Programa de Acompanhamento e Benefícios, em que, além de descontos especiais em exames e na compra de novos aparelhos, é feito o acompanhamento da sua saúde auditiva pela equipe especializada durante três anos. Nesse período, são realizadas as revisões periódicas e

fornecido todo suporte necessário para que o usuário aproveite essa tecnologia da melhor forma possível”, destaca Dra. Vanessa, da Pró-Ouvir.

E, engana-se quem pensa que os aparelhos auditivos não podem evoluir ainda mais. “Estamos trabalhando em inovações, claro. Sempre buscamos o melhor, o que há de mais revolucionário para o bem-estar dos pacientes. Hoje, nossos dispositivos melhoram a vida das pessoas, trazendo conforto, as fazendo ouvir novamente e, em alguns casos, até melhor do que antes de possuírem qualquer problema auditivo. A Signia continua investindo em pesquisa e inovação e, certamente, em breve, novos aparelhos com inteligência artificial ainda mais fantásticos serão lançados”, prevê Mônica.

O modelo mais indicado para cada caso e o preço do aparelho auditivo variam muito, sendo determinados pelas necessidades individuais do paciente e pelas funções agregadas. Atualmente, existem linhas de crédito especiais para aquisição pelo Banco do Brasil. “Também é possível utilizar os recursos do FGTS para adquirir os aparelhos auditivos”, diz Dra. Vanessa, da Pró-Ouvir.

Mais informações podem ser obtidas pelo site: www.proouvir.com.br ou pelo telefone: (15) 3231-6776. A Pró-Ouvir Aparelhos Auditivos fica localizada na Rua Dr. Arthur Gomes, 552, no Centro, em Sorocaba (SP).

Evolução da inteligência artificial nos aparelhos auditivos*

1952 – Arthur Samuel cria o primeiro programa de aprendizado de computador

2006 – 1º aparelho auditivo com inteligência artificial (Centra). O aparelho da Siemens (atual Signia) aprendia o volume que o usuário mais gostava, independentemente do programa. Esse recurso foi chamado de DataLearning.

2008 – Lançado o SoundLearning, que otimizou o ganho por diferentes níveis de entrada (sons fracos, médios e fortes) em quatro bandas de frequência.

2010 – Lançada uma evolução do SoundLearning, que aprendia o ganho preferencial a partir do mapeamento acústico do ambiente, de forma totalmente automática.

2018 – 1º aparelho auditivo do mundo com OVP (Own Voice Processing), um processamento independente da própria voz do usuário e que aprende, em até 10 segundos apenas, a voz do usuário.

2020 –  Em breve, novos aparelhos com inteligência artificial ainda mais surpreendentes!

Fonte: Signia.

Related posts

Itália: o que ver, fazer e comer em Friuli Venezia Giulia

Portal Agita Ih

Abrigo Municipal vai abrir neste sábado para incentivar adoção de animais em Sorocaba

Portal Agita Ih

Confira 3 dicas para diminuir a oleosidade dos cabelos

Portal Agita Ih

Deixe um comentário

2 × 4 =

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Leia mais