Sem categoria

Oficina de dança no Barracão Cultural explorou a interconexão entre pessoas e objetos

O ator e bailarino Chico Lima realizou nesta quinta e sexta-feira (9 e 10) a oficina de dança “Operações Coletivas – Dança em Massa” no Barracão Cultural, localizado no Centro de Sorocaba. A aula foi aberta ao público e teve como objetivo explorar a interação entre pessoas e objetos por meio de exercícios coletivos de criação e improvisação.
A ação integra o projeto contemplado pelo Programa de Ação Cultural (ProAc) e que no município, contou com a parceria da Prefeitura de Sorocaba, por meio da Secretaria de Cultura (Secult).
“A oficina surgiu das minhas vivências, do que eu tenho pesquisado em dança e coreografia em relação a grandes grupos. Penso que dançar é junto com o outro, assim como dançar a partir do outro, mais do que sobre criar uma coreografia ou partitura em que tudo é executado da mesma forma”, explica Chico Lima.
Além disso, o autoconhecimento do corpo e das emoções foi frequentemente estimulado pelo professor durante os movimentos solos e em grupo, que se iniciaram de maneira mais leve para que os alunos entrassem em estado de relaxamento e foram avançando de acordo com a troca de energia entre os participantes.
“A ideia é a gente entrar em relação e encontrar um jeito de dançar os nossos corpos juntos, cada um em suas necessidades, mas conseguindo compartilhar isso através do movimento”, comenta o bailarino. 
Espetáculo gratuito na noite desta sexta-feira
O projeto continua nesta sexta-feira, às 20h, com a apresentação do espetáculo “Tentativas contra o Vento” também no Barracão Cultural. O solo de dança contemporânea com o ator e bailarino Chico Lima foi produzido pelo Campo Fictício e tem produção executiva de Eduardo Bordinhon e da Cooperativa Paulista de Teatro.
Trata-se de uma prece circular, uma evocação de uma visão. A transmissão de uma mensagem captada pelo corpo. Uma coreografia, uma tentativa alquímica constante de transformar a matéria corpo em outra coisa, entregar-se ao vento e aprender a permanecer e seguir.
Resultado de um intenso processo criativo guiado por três coreógrafas com as quais o artista já havia trabalhado (Andréia Yonashiro, Morena Nascimento e Lu Favoreto), e em parceria com os artistas Tiago de Mello na trilha sonora, e Cauê Gouveia na iluminação, neste trabalho, a dança é colocada como uma tentativa alquímica constante de transformar a matéria corpo em outra coisa.
Confrontando o vento produzido por dois ventiladores industriais, o bailarino mistura-se com os materiais plásticos propostos neste trabalho, confunde-se e transforma-se em novas formas entre o caótico e o suspenso. Entregando-se ao vento, o corpo parece aprender a permanecer e adaptar-se, e encontrar maneiras de seguir neste processo.
A classificação indicativa é de 10 anos de idade. Os ingressos serão distribuídos no local 30 minutos antes do início do espetáculo. O Barracão Cultural está localizado na avenida Afonso Vergueiro, 310, no Centro, ao lado da antiga Estação Ferroviária.

Fonte: SECOM

Deixe uma resposta

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

%d blogueiros gostam disto: