Sem categoria

Mais de 60% das empresas no mundo estão em escritórios flexíveis

São Paulo, maio de 2019 – A ideia de se deslocar por horas para chegar ao escritório está se tornando tão obsoleta quanto o uso do fax. A conclusão é de uma pesquisa realizada pelo International Workplace Group (IWG), empresa líder mundial e brasileira em espaços flexíveis de trabalho, dona das marcas Regus e Spaces. O levantamento foi conduzido em janeiro deste ano e entrevistou mais de 15 mil pessoas em 80 países.

A pesquisa intitulada Global Workspace Survey, que analisa mundialmente há onze anos o uso dos espaços de trabalho, aponta que mais da metade das pessoas já está trabalhando fora das sedes de suas empresas por, pelo menos, três dias na semana. Não é surpresa, então, que de acordo com as descobertas da última edição, 62% das empresas em todo o mundo estão ocupando espaços flexíveis de trabalho, como escritórios compartilhados e ambientes de coworking.

Além de benefícios estratégicos e financeiros, os entrevistados apontaram o modelo como uma forma de atrair e reter talentos – já que as pessoas estão priorizando oportunidades que ofereçam alguma política de trabalho flexível. O formato, que tem chamado a atenção de funcionários mundo afora, também se mostra positivo para a conquista de resultados. Na pesquisa, 85% dos participantes confirmaram que a adesão ao escritório flexível aumentou a produtividade dos negócios.

No Brasil, foram entrevistadas 1.116 pessoas. Deste total, 72% consideram que a existência de políticas flexíveis de trabalho é essencial para uma empresa, e 67% disseram que a empresa para qual trabalham possui alguma política de flexibilidade, dado acima da média mundial (62%). No país, 76% dizem que espaços flexíveis poderiam reduzir significativamente o tempo que gastam com deslocamento para ir e voltar do trabalho. Mais da metade (54%) dos brasileiros alegam que trabalham (fazendo telefonemas, checando e-mails etc.) enquanto estão no trajeto para a empresa.

Os executivos e líderes empresariais, no entanto, ainda buscam entender o que “flexibilidade” significa para os seus colaboradores. No estudo, cerca de um quinto dos trabalhadores globais descreveram o trabalho flexível como “a capacidade de tomar decisões a respeito da carga horária”, mas mais da metade deles relaciona o formato com “a possibilidade de escolher o local onde vão desempenhar suas atividades”.

Para Tiago Alves, CEO do IWG no Brasil, a flexibilização do ambiente de trabalho é impulsionada pela digitalização dos processos, hoje mais facilmente acessados de qualquer lugar, o que diminui a necessidade de deslocamento até o escritório. “O desafio agora é conciliar políticas que atendam às necessidades dos colaboradores e dos negócios. Quando isso estiver alinhado, as empresas poderão colher frutos como maior produtividade e a retenção de talentos, que o trabalho flexível pode oferecer. Além de proporcionar aos funcionários melhor equilíbrio entre vida profissional e pessoal”, explica o executivo.

SOBRE O IWG

O International Workplace Group (IWG) é uma empresa global líder na revolução dos espaços de trabalho. Dono das marcas Regus e Spaces no Brasil, o grupo auxilia mais de 2,5 milhões de pessoas e seus negócios a trabalharem de forma mais produtiva com soluções em escritórios flexíveis e coworking em todo o mundo. O IWG foi fundado em Bruxelas, na Bélgica, em 1989, e possui mais de seis marcas que oferecem espaços de trabalho.

Fonte:

Máquina Cohn & Wolfe

Deixe uma resposta

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

%d blogueiros gostam disto: