Notícias

UPA Éden começou a ofertar PEP nesta segunda-feira

A partir desta segunda-feira (09), a Secretaria da Saúde (SES), da Prefeitura de Sorocaba começou a ofertar os comprimidos antirretrovirais às pessoas que tenham sofrido alguma exposição ao vírus da aids em até 72 horas. A medicação, conhecida por PEP (Profilaxia Pós-Exposição), está disponibilizada na UPA do Éden e é fornecida obedecendo a critérios de protocolo de assistência e que seja considerado um atendimento de urgência. O objetivo da Secretaria, por meio do CTA (Centro de Testagem e Aconselhamento) e Same (Serviço de Atendimento Municipal Especializado), é o de ampliar as ações de enfrentamento contra o HIV no município. Este ano, Sorocaba registrou 125 novos casos de aids.

De acordo com a SES, além da UPA Éden, a medida preventiva também é oferecida nas UPHs Leste, Oeste e Norte, além do CTA, situado à rua Manoel Lopes, 220, na Vila Hortência, que atende de segunda a sexta-feira, das 8h às 15h30. Nas UPHs e UPA, a assistência é ofertada durante 24 horas por dia.

Segundo a coordenadora do CTA, Helena Solla, diferente da camisinha, que evita que uma pessoa entre em contato com o vírus presente nas secreções genitais e sangue durante a relação sexual, este tipo de medida preventiva atua quando a pessoa já foi exposta ao vírus, ou tem suspeita de exposição. “É importante lembrar que além da camisinha, outras medidas complementares são essenciais para evitar a infecção pelo HIV, como redução do número de parcerias sexuais, tratamento de inflamações na região genital, uso de gel lubrificante e consumo consciente de álcool”, destaca.

Para que fosse possível essa ampliação no atendimento, o CTA/Same realizou um treinamento no mês de agosto para capacitar a equipe de enfermagem, os biomédicos e médicos da UPA. A ação foi dividida em quatro encontros.

Número de casos de HIV

Desde o início do ano foram registrados 125 casos novos de HIV em pessoas que moram na cidade. São 52 casos na faixa etária de 15 a 29 anos; 43 casos estão entre pessoas de 30 a 39 anos; 17 registros se localizam entre 40 a 49 anos, 10 casos estão na faixa de 50 a 59 anos e três casos em maiores de 60 anos.

Já em 2018, o total foi de 184 casos novos de HIV em pessoas residentes na cidade. Sendo 82 casos na faixa etária de 15 a 29 anos; 54 entre o público de 30 a 39 anos; 25 casos apontados em pessoas com idade de 40 a 49 anos; 19 registros se localizaram entre 50 a 59 anos; e quatro casos em maiores de 60 anos.

Fonte: SECOM

MATÉRIAS RELACIONADAS

Terminam na segunda as inscrições para os cursos de férias da Facens

agita2019

´A Marca na Rosa` orienta mais de 1.700 estudantes sobre relacionamentos abusivos

agita2019

Saae sorteia ordem de entrega do ‘Caixa D’Água Social’

agita2019

Deixe uma resposta

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

%d blogueiros gostam disto: