Notícias

Preços de itens da ceia de Natal podem subir até 13%

Alta demanda faz preço de panetones, peru e chester subir; frutas de época têm queda de 3%

Presente nas lojas desde o final de setembro, os preços dos panetones e chocotones podem subir até 13% quando comparados ao acumulado do ano, revela o levantamento da Associação Paulista de Supermercados (APAS). O principal motivo do aumento de preço é justamente a alta procura nas duas últimas semanas do ano, período de maior demanda pelo produto. Curiosamente, a queda dos preços após as festas de final de ano faz o preço cair entre 30% e 40% para evitar o encalhe nas lojas. As vendas deste ano devem aumentar 5% nominalmente no varejo alimentar.

O preço do Peru e Chester apresentou queda de 13,2% no acumulado até setembro. Haverá um aumento natural do preço em novembro e dezembro por conta da demanda da época, subindo 3,5%. “A queda no preço das carnes atingiu recordes de exportação por conta da alta do dólar e influenciada pela crise da peste suína na China”, destaca Thiago Berka, economista da APAS.  Cortes Suínos e Bovinos não ficaram imunes ao aumento; os valores devem subir 1,5% e 2%, respectivamente.

As frutas de época como ameixa, banana-prata, cereja, coco verde, damasco, figo, framboesa, graviola, kiwi, manga, maracujá, melão, pêssego e romã terão uma queda 3% nos preços. Historicamente, nesta época do ano, o preço destas frutas cai, beneficiando o consumidor.

Doces têm no Natal a segunda melhor data para a indústria. A compra de chocolate como presente alavanca o setor por ser uma forma mais em conta de presentear, uma vez que agrada grande parcela dos consumidores. Os preços tiveram queda no acumulado do ano de 0,1%. Porém, em dezembro os doces devem ficar 0,7% mais caros.

Confira como será o preço de outros produtos típicos das festas de final de ano:

Espumantes: No acumulado do ano, o produto teve uma queda de 2,5%. Para o Natal, os preços devem ter alta de 1,5%.

Vinho: O preço dos vinhos cresceu 4,2% no ano de 2019 puxados pelo aumento forte do câmbio. Até o final do ano, o consumidor irá observar um aumento de 0,8%.

Cerveja: mesmo imune aos aumentos do câmbio e com a crescente concorrência no setor, as cervejas tiveram no acumulado até setembro uma queda de 1,2%. Para o fim de ano, a bebida deve subir 0,5% devido à alta demanda.

Azeite e outros condimentos: o preço do azeite caiu 2,9% no acumulado até setembro. Para dezembro, o insumo terá aumento pequeno de 0,5%.

Sobre a APAS – a Associação Paulista de Supermercados representa o setor supermercadista no Estado de São Paulo e busca integrar toda a cadeia de abastecimento. A entidade tem aproximadamente 1.500 associados, que somam cerca de 4.000 lojas.

Fonte: OS2

MATÉRIAS RELACIONADAS

Nova base do SAMU trará mais rapidez nos atendimentos à população

agita2019

Campanha de doação de brinquedos, no Pátio Cianê Shopping

agita2019

Belas Artes Sorocaba-Votorantim promove oficinas e palestra em comemoração aos 94 anos de existência

agita2019

Deixe uma resposta

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

%d blogueiros gostam disto: