free web hit counter
Notícias

Dia Mundial do Bambu é celebrado com plantio no Jardim Botânico

Nesta quarta-feira (18), quando é celebrado o Dia Mundial do Bambu, a Secretaria do Meio Ambiente, Parques e Jardins (Sema) realizou o plantio de uma muda de Bambusa ventricosa, mais conhecido como bambu-barriga-de-buda, no Jardim Botânico “Irmãos Villas-Bôas”.
A data mundial visa promover a sensibilização das pessoas da importância do bambu como uma matéria-prima sustentável. O bambu pertence à família das Gramineae e apresenta mais de mil espécies espalhadas pelo mundo.
De acordo com o biólogo Cristians Edgar Guimarães Leite, a muda plantada tem mais de dois metros de altura e fazia parte da coleção viva de exemplares de bambus do Jardim Botânico, localizado numa área pública do bairro Quintais do Imperador.
O Bambusa ventricosa é uma espécie exótica, rara e de extrema beleza. O nome bambu-barriga-de-buda é porque forma “barrigas” nos entrenós.
O Jardim Botânico está localizado na rua Miguel Montoro Lozano, 340, no Jardim Dois Corações, e funciona de terça a domingo, das 9h às 17h. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (15) 3235.1130.

Bambu como matéria-prima
Há milênios, o bambu é conhecido e utilizado no Oriente para as mais diversas funções: alimento, estruturas de casas, paredes, telhas, portas e janelas, mobiliário, utensílios de cozinha, objetos de decoração, cercas, pontes, irrigação, drenos, embarcações, contenção de encostas, entre outras.
Na América, sítios arqueológicos mostram que o bambu é usado há cerca de 5 mil anos. Em países como Equador, Colômbia e Costa Rica, onde a pesquisa e a utilização do bambu já estão bastante avançadas, essa planta é empregada na construção de pontes, paradas de ônibus, praças de pedágio e em programas governamentais de habitações de interesse social adaptada as mudanças climáticas.
No Brasil, embora existam mais de 250 espécies nativas, muitas delas endêmicas, e mais de 100 espécies exóticas introduzidas, as atividades econômicas relacionadas ao bambu são ainda muito restritas. Esse cenário deve-se a pouca tradição no emprego do bambu como matéria-prima e, também, às lacunas de conhecimento e tecnologias locais que permitam usar tanto as espécies de clima temperado, quanto as espécies tropicais nativas com grande potencial comercial.

Fonte: SECOM

MATÉRIAS RELACIONADAS

“Love Week” vai até domingo (16) em 60 estabelecimentos pelo país

agita2019

Bate-papo na Biblioteca Infantil tratará dos vestígios da Sorocaba tropeira nos dias de hoje

agita2019

“Taça das Casas” encerra o Galera Game nesta sexta

agita2019

Deixe uma resposta

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

%d blogueiros gostam disto: