Empreendedorismo Mercado de Trabalho

Empreendedorismo é o futuro do trabalho

Tema foi debatido pelo diretor do Sebrae, Eduardo Diogo, com especialistas internacionais no 8° Congresso de Inovação da Indústria 

Como será o futuro do trabalho no Brasil e no mundo? Diante de especialistas em inovação e investidores estrangeiros, a questão foi respondida pelo diretor de Administração e Finanças do Sebrae, Eduardo Diogo, durante painel do 8° Congresso de Inovação da Indústria: “Não é possível falar em futuro do trabalho sem falar em empreendedorismo. Tem que empreender”, cravou o diretor antes de definir habilidades empreendedoras que farão a diferença no sucesso dos donos de negócios. “É fundamental que as pessoas se conectem com as outras. Para que isso aconteça, é preciso ter duas habilidades: a humildade e a gratidão”, analisou. Para Diogo, o trabalho do futuro também contará com pessoas comprometidas, perseverantes, dedicadas, com capacidade de decidir em qualquer área de atuação, bem como com quem se preocupa com a honestidade e credibilidade. “Ser uma pessoa confiável é absolutamente perene em qualquer cultura. Não terceirizar a própria felicidade é outra tendência para o futuro”, pontuou o diretor. 

Durante o painel sobre O Futuro do Trabalho, o diretor do Sebrae provocou reflexões sobre o impacto do presente nas próximas décadas. “As mudanças são uma certeza e a pergunta que faço é: o que cada um de nós, nas respectivas áreas de atuação, está fazendo hoje para que no futuros as próximas gerações saibam que nós existimos”, questionou. A fala do diretor encerrou o debate com especialistas do Brasil e do exterior, como o vice-presidente de engenharia da Embraer, Mauro Kern, o diretor de operações do Senai, Gustavo Leal; o presidente do Conselho de Administração da Klabin, Horácio Lafer Piva; a especialista em inovação, fundadora e investidora da April Wordwide, April Rinne (EUA); professor e pesquisador da Universidade de Oxford, Daniel Susskind,  (Reino Unido).

De acordo com April, o futuro do trabalho no Brasil e no mundo sempre vai passar pelo lado humano. “A maioria dos trabalhos são de tecnologia, mas não dá para esquecer dos humanos. O trabalho é um sistema complexo de tecnologias e seres humanos, onde as questões vão incluir bem-estar e convivência”, analisou. O trabalho sem fronteiras, para April Rinne, é, sim, o futuro. “Bem vindos ao mundo remoto do trabalho, de talento sem fronteiras, em que o trabalho não é feito no escritório, mas em casa e, muitas vezes, do outro lado do mundo”. Para ela, essa dissolução das fronteiras é o que vem pela frente, já que as empresas estão cada vez mais virtuais e as pessoas já conseguem buscar trabalho em outros países ou até mesmo abrir empresas em outros países e continuar trabalhando remotamente no país de origem. “Mais de 40% dos americanos trabalham remotamente em alguma parte do seu tempo”.

Autor do livro O futuro das profissões: como a tecnologia transformará o trabalho dos especialistas, Daniel Susskind  destacou a transformação do mercado de trabalho por causa da tecnologia. Segundo o pesquisador, é possível que a tecnologia venha transformar a profissão até de especialistas, como médicos e arquitetos. Um dos exemplos que Susskind citou é o de um aplicativo que, por meio de uma câmera, avalia pintas corporais e aponta de forma precisa se aquela marca pode ser um câncer ou não. “O aplicativo não está copiando o diagnóstico humano, mas sim pesquisando a partir de um banco de dados com centenas de milhares de casos, e roda um algoritmo de padrões que nenhum médico conseguiria fazer em toda sua vida”, explica. “Existe, então, o risco de automação para profissões de colarinho branco. Quando é um processo simples e fácil de explicar, isso pode ser automatizado”.

Desafios Malwee e Schneider Eletric

O Espaço do Sebrae no 8º Congresso Brasileiro de Inovação da Indústria recebeu duas iniciativas de aproximação entre pequenos negócios e as empresas âncoras Malwee e Schneider Eletric. Dezoito startups tiveram a chance de apresentar soluções inovadoras para os desafios lançados pelas duas empresas. De acordo com o gerente de Inovação do Sebrae, Célio Cabral, as ações representam uma grande oportunidade para as startups focadas em inovação e internacionalização. “As empresas selecionadas nos desafios estão recebendo uma aposta alta. Acreditamos nisso, pois queremos a inovação na prática”.

O desafio Malwee compõe o edital de Inovação para a Indústria e visa selecionar cinco startups de projetos digitais que ofereçam experiência de compra diferenciada ao consumidor e soluções inovadoras para a gestão do negócio. Já o desafio Schneider Eletric teve como foco incluir as pequenas e médias empresas na indústria 4.0. 

Fonte: SEBRAE

MATÉRIAS RELACIONADAS

Sebrae detalha funcionamento da Empresa Simples de Crédito

agita2019

Sebrae apoia pequenos empreendimentos que se dedicam à produção orgânica

agita2019

Congresso de Empreendedorismo em Sorocaba conecta startups com investidores

Agita ih

Deixe uma resposta

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

%d blogueiros gostam disto: