Empreendedorismo Mercado de Trabalho

A importância dos micros e pequenos empreendedores

Em constante crescimento, são eles que asseguram a economia do país em tempos de crise
 Ao se falar em empreendedorismo, logo já vem à cabeça cases de sucesso em que alguém teve uma ideia e a tornou uma grande multinacional. São bons exemplos, mas são casos excepcionais que ajudam a movimentar a economia do país.
Às grandes empresas, nessa missão de ajudar a economia, se juntam de forma expressiva as pequenas empresas O número de micros e pequenos empreendedores cresce consideravelmente ano a ano e, hoje, eles já são os responsáveis por garantir mais da metade dos empregos formais no Brasil. Por esse e outros fatores, eles são igualmente importantes para o desenvolvimento econômico das cidades e do país como um todo.
Em 2018, de acordo com o levantamento da MEI Fácil, houve um crescimento de 18% na abertura de CNPJ para Microempreendedor Individual (MEI) no país. Foram cerca de 2 milhões de cadastros feitos, recorde absoluto no setor, se comparado aos 1,7 milhão novos cadastros abertos em 2017. Segundo dados do Sebrae, a quantidade de microempresas no Brasil saiu de 2,65 milhões, em 2009, para 4,14 milhões, em 2017, e deve atingir 4,66 milhões, em 2022, ou seja, de acordo com tais estimativas, essas empresas representarão um crescimento de 75,5% em um período de 23 anos.

Manutenção de empregos
Eugênio Brito, Consultor de Inovação da Agência de Desenvolvimento Econômico e Tecnológico (ADETEC) de Lins, aponta que são os micros e pequenos empreendedores que sustentam o país em crises financeiras. “Eles não mandam funcionários embora, pois precisam deles, diferente do que acontece com uma grande empresa que, a vista de qualquer crise, demite um número gigantesco de funcionários”, observa.
De acordo com dados do Sebrae, na crise econômica que atingiu o Brasil entre 2014 e 2016, as médias e grandes empresas chegaram a demitir 2 milhões de funcionários, já no mesmo período, o número de demissões para as micros e pequenas empresas foi de cerca de 900 mil.

Atividades que movimentam a economia
Segundo dados do IBGE, as micros e pequenas empresas representam cerca de 27% do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil. Eugênio Brito lembra que qualquer pessoa pode ser um microempreendedor. “É preciso apenas estar disposto a buscar ajuda e capacitação para aprender sobre a gestão de uma empresa. Atualmente, são criadas inúmeras atividades profissionais que abrem possibilidades de novos micros ou pequenos empreendedores, mas, é preciso a capacitação correta de acordo com cada negócio”, afirma.

Micros e pequenas empresas nas grandes cidades
As profissões vão sendo criadas e formadas a todo instante em função das inovações que ocorrem no mercado todos os dias. Muitas vezes, as pequenas cidades são movidas com as micros e pequenas empresas, no entanto nas grandes cidades elas também têm um papel fundamental, pois garantem a diferenciação nos produtos e o surgimento de novos segmentos de mercado.



Sobre a ADETEC

A ADETEC é uma organização da sociedade civil sem fins lucrativos, que existe desde fevereiro de 2001, e que nasceu para apoiar iniciativas no domínio das políticas públicas na cidade de Lins (SP) e região. Ela é uma associação formada por empresas privadas, centros universitários e entidades do poder público, que trabalham com o objetivo principal de executar atividades relacionadas a desenvolvimento, tecnologia, empreendedorismo e inovação.

Fonte: Carvalho Assessoria

MATÉRIAS RELACIONADAS

Aniversário de Sorocaba sob o olhar da indústria

agita2019

Parque Tecnológico inaugura Fab Lab

agita2019

Sorocaba ganha mais uma unidade descentralizada do PAT a partir de segunda-feira

agita2019

Deixe uma resposta

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

%d blogueiros gostam disto: