Estilo de Vida Meu Pet

Meu cão é ansioso, e agora?

Ele late sem parar, morde os móveis, arranha as visitas e toca o terror no condomínio do prédio? Acalme-se, pois a especialista Luana Sartori, médica veterinária da Nutrire, explica como deixar seu pet mais calmo e tornar a relação mais harmoniosa.

A ideia de um cachorro calminho, que não faz barulho e não bagunça a casa é quase uma utopia, conforme explica a Dra. Luana Sartori, especialista da Nutrire Indústria de alimentos, com sede em Garibaldi/RS. “Ter um pet de estimação em casa é garantia de alegria para a família toda, mas é importante lembrar que o animal tem vontade própria e muita energia para gastar, principalmente quando filhote”, diz. Porém, algumas dicas podem ajudar a controlar a ansiedade de alguns animais e permitir que vivam com mais tranquilidade.

O primeiro passo é analisar como a família se porta no dia a dia, pois se a casa é mais agitada, o cão certamente será mais ansioso. “Evite gritar com o animal, isso o deixa com medo e, consequentemente, pode torná-lo agitado. Ensine seu filho a falar com calma e gentileza com o pet”, indica. 

Outra dica interessante é premiar o cão quando estiver calmo. “Se está deitado, relaxado, descansando, dê um petisco que ele gosta sem falar nada ou com a voz mais suave possível. Isso ajuda o animal a compreender que ficar tranquilo pode ser gratificante”, explica.

A especialista orienta que o pet jamais seja recompensado no momento da bagunça. “Se o animal estiver muito agitado, o ideal é que você o ignore por alguns minutos até que se acalme. Quando ele relaxar, aí sim, você dá o presente, seja um petisco, um brinquedo ou um carinho”, conta.

Outro ponto indispensável é ajudar o cão a gastar energia. “Todo animal acumula essa energia e precisa correr, caminhar ou brincar para gastar as calorias. É preciso tirar um tempo no dia para levar o bichinho na rua e fazer com que ele exercite-se ao menos 30 minutos diariamente. Não adianta todas as técnicas do mundo se o animal não gasta toda a energia que acumula”, avalia Luana.

Após as brincadeiras, uma boa dica é que os pets tenham contato com a música para que relaxem com harmonia. “Muito embora o cão seja um animal domesticado, o instinto ainda torna sua audição aguçada e faz com que ele reaja aos sons do ambiente. Como dito anteriormente, quanto mais gritos o animal escutar, mais agitado ele ficará”, completa.

Se o pet se acostumar com sons calmos, como uma música mais lenta, por exemplo, e esse som for ininterrupto e constante, haverá associação de tranquilidade, aconchego e segurança.

A especialista recomenda que nos momentos de interação no sofá ou na cama, você massageie o pet. “Não tem segredo em fazer uma massagem no cão, você pode começar pela cabeça, passar pelo corpinho e terminar nas patas. Faça movimentos circulares e converse calmamente com o animal durante esse processo”, diz.

A especialista orienta que em casos mais severos, onde o cão usa a agressividade como ferramenta de comunicação, é preciso contatar um profissional que entenda do assunto para domesticá-lo. “Para evitar acidentes, principalmente com as crianças, o ideal é que um adestrador seja contatado para auxiliar a família”, finaliza.

Fonte: Juliana Farias

MATÉRIAS RELACIONADAS

10 mitos e verdades sobre AVC

agita2019

Dores na coluna? Que tal investigar suas emoções?

Agita ih

Especialista alerta para os cuidados na alimentação da gata gestante

agita2019

Deixe uma resposta

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

%d blogueiros gostam disto: