Corpo e Saúde Estilo de Vida

Emoções fortes e estresse podem desencadear desconforto e doenças gastrintestinais

· Médico gastroenterologista explica a relação entre sistemas nervoso e digestivo e fala sobre os principais problemas que podem surgir e orienta sobre prevenção e tratamento.

Sabe quando estamos ansiosos com uma viagem ou um presente, nervosos ou triste com algo, ou ainda, quando desperta um sentimento mais forte por alguém e ficamos com aquele frio na barriga? Outras pessoas podem, ainda, sentir dor no estomago, ou vontade de ir ao banheiro, principalmente após um susto ou momento de estresse. Todas essas reações do sistema digestivo estão sempre sendo ativadas por um pico emocional, mas, afinal, por qual razão isso acontece?

De acordo com Dr. Rafael Beltrami, médico gastroenterologista da clínica Ápice Medicina Integrada, de Sorocaba (SP), existe uma relação muito profunda entre o sistema emocional e o digestivo. “Isso acontece, pois, os sistemas nervosos simpático (que ativa reações involuntárias, como o suor, aceleração do coração, dilatação de pupilas, dentre outras), e o sistema parassimpático, (que ‘desliga’ essas reações), estão muito conectados ao estômago e intestino e qualquer mudança de estado emocional pode desencadear um quadro assim”, comenta. “Isso explica a vontade repentina de ir ao banheiro que algumas pessoas sentem após um susto, ou o frio na barriga quando se está ansioso para algum encontro ou acontecimento prazeroso”, completa.

Essas reações emocionais podem duram alguns minutos, mas também podem se tornar crônicas e levar ao surgimento de problemas que precisam de atenção. “A síndrome do intestino irritável é uma delas. Embora possa surgir por outras razoes, quem vive em constante estresse está estimulando o intestino a trabalhar de maneira anormal durante o tempo todo. Isso pode aumentar a sensibilidade do órgão e fazer surgir quadros de dor”, exemplifica.

A gastrite nervosa é outro problema digestivo frequentemente relacionado às condições emocionais. “As gastrites são inflamações no revestimento do estômago, que na origem nervosa, é causada pelo estresse e pela ansiedade, além de outros fatores emocionais, que fazem com que a secreção de ácidos no estômago aumente e provoque os sintomas clássicos da gastrite: dores no estomago, queimação, arrotos, soluços, dentre outros”, acrescenta o médico.

O tratamento para os desconfortos digestivos emocionais deve ser conduzido por uma equipe multidisciplinar. “Tratar apenas o desconforto digestivo não é suficiente para solucionar o problema. Sobretudo nos casos crônicos, é imprescindível contar com o apoio de um psicólogo e/ou psiquiatra, que irá orientar acerca dos problemas emocionais que estão desencadeando as reações físicas”, aconselha o gastroenterologista.

Independentemente dos fatores emocionais, o médico indica que todos devem adotar pequenos cuidados no dia a dia, a fim de prevenir problemas e preservar a saúde digestiva. “Aconselho o consumo de fibras alimentares, e a redução de industrializados com corantes e conservantes artificiais, como os refrigerantes, sucos em pó, embutidos. Esses alimentos podem ser consumidos, mas com moderação. Prefira sempre opções naturais, como as frutas e evite frituras e alimentos pesados antes de dormir, sem ficar muitas horas em jejum. Lembrando que as bebidas alcóolicas também podem fazer mal. Essas medidas fazem bem não só ao aparelho digestório como para a saúde como um todo”, conclui Dr. Rafael Beltrami.

A Ápice Medicina Integrada fica localizada na Rua Eulália da Silva, 214, no Jardim Faculdade, em Sorocaba/SP. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone: (15) 3229-0202 ou pelo site: www.apice.med.br

MATÉRIAS RELACIONADAS

Conforto, tons vibrantes e romantismo: especialista aponta as tendências de moda para o Outono/Inverno 2019

agita2019

O que as emoções têm a ver com saúde?

agita2019

Dispara número de brasileiros que buscam estudo e oportunidades no exterior

Agita ih

Deixe uma resposta

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

%d blogueiros gostam disto: