Casa e Decoração Destaques Estilo de Vida

Vasos sanitários viram obras de arte para fazer alerta


Divulgação

De acordo com dados da Sociedade Brasileira de Urologia, cerca de 5% da população brasileira sofre de incontinência urinária. Ou seja, mais de 10 milhões de pessoas convivem diariamente com a perda involuntária de urina. Apesar disso, de 70% a 75% não procuram tratamento médico. Para chamar atenção sobre a doença, vasos sanitários estão instalados no calçadão de Copacabana, no Rio de Janeiro, na exposição Pee Parade. 

As obras foram produzidas por quatro artistas plásticos do Rio de Janeiro – Patrícia Brasil, Alex Pedreira, Jorge Grisi e Camila Camíz -, que se inspiraram em histórias reais de superação de pacientes para desenvolverem seus trabalhos. Elas ficarão expostas no calçadão de Copacabana de 25 a 27 de janeiro, das 9h às 19h. “Acreditar que a incontinência urinária é um problema normal que surge com o envelhecimento é um engano. Ela pode ser controlada e tratada. A exposição pretende demonstrar como vidas podem ganhar novas cores com o tratamento correto”, explica o urologista Sebastião Westphal, presidente da Sociedade Brasileira de Urologia, que promove a campanha. Ele alerta que a incontinência urinária não é somente um problema físico, pois afeta aspectos emocionais e psicológicos, além da vida social, ao atrapalhar tarefas cotidianas. “Quem sofre com incontinência urinária não pode ficar muito longe de um banheiro e chega a ir mais de oito vezes por dia”, comenta.

A campanha “Pee Parade – Pare para entender. Entenda para parar” teve início em 2018 com uma exposição no shopping Vila Olímpia, em São Paulo. Em seu segundo ano, a ação traz peças inéditas e convida o público a compartilhar fotos das obras nas redes sociais por meio das hashtags #peeparade #pareparaentender #euapoiopeeparade. 

“Quis ser gentil com a criação desta peça. Sei que alguns estranharão o suporte – um vaso sanitário, mas acho extremamente importante quebrar tabus, ganhar as ruas para iniciar um debate. O problema começa, muitas das vezes, no medo de se expor”, conta a artista plástica Patrícia Brasil. “Saber que esse trabalho pode melhorar a qualidade de vida de muitos, me faz sentir parte da vida dessas pessoas”, completa. 

“É primordial conversar com um médico urologista e descobrir qual é a melhor opção de tratamento para você. O diagnóstico precoce é fundamental para o tratamento”, adverte o médico. 

Você sabia?

– Cerca de 5% da população brasileira sofre de incontinência urinária (a perda de urina que você não consegue controlar) 

– 50% dos brasileiros com sintomas urinários se consideram insatisfeitos a péssimos em relação a sua condição 

– Uma a cada duas mulheres acima de 40 anos apresentam algum tipo de incontinência urinária 

– 70% a 75% dos brasileiros com sintomas urinários não procuram o médico 

– Existem quatro tipos de incontinência urinária: De esforço (perda de urina que ocorre ao tossir, espirrar, caminhar, correr, pular); De urgência (perda de urina associada a um desejo súbito e urgente de urinar que ocorre porque o indivíduo não consegue chegar a tempo no banheiro); Mista (quando a pessoa apresenta os dois tipos de incontinência urinária) e Paradoxal (quando a bexiga está extremamente cheia – causada pela incapacidade de esvaziamento da bexiga – e a perda ocorre por uma espécie de transbordamento). 

Divulgação

Divulgação

Divulgação

Divulgação

Divulgação

Divulgação

Divulgação

Divulgação

Divulgação

Divulgação

Redação Bonde com Assessoria de Imprensa

Fonte: https://www.bonde.com.br/casa-e-decoracao/noticias/vasos-sanitarios-viram-obras-de-arte-para-fazer-alerta-490924.html

MATÉRIAS RELACIONADAS

Saiba como acertar na hora de escolher móveis planejado

agita2019

Renan Batista Silva mostra primeiro arranha-céu de madeira do mundo

Agita ih

Arquiteta da Pacaembu Construtora dá dicas de decoração para deixar a casa com o estilo e a “cara” do morador

agita2019

Deixe uma resposta

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

%d blogueiros gostam disto: