Comportamento Estilo de Vida

Brasil está em segundo lugar dos países que mais traem

Já parou para se perguntar por que os brasileiros são líderes quando o assunto é traição? Porque com certeza, você conhece alguém que já traiu ou foi traído. Sabemos que nos dias atuais não é tão difícil encontrar casos de relações fora do casamento.

De acordo com pesquisa, o Brasil perde apenas para a Holanda no ranking da traição

Sabe-se também que a internet é o local mais favorável para as coisas iniciarem e pensando nisso, o site de relacionamentos, Meu Rubi, fez uma pesquisa entre seus usuários. Os resultados foram acima da média e registraram que 53% são casados, mas estão buscando uma segunda relação. 

A mesma pesquisa por estados que mais buscam esses sites mostrou que o Rio de Janeiro está em primeiro lugar, com 21,1%. Santa Catarina vem logo atrás com 16,5%.

As pessoas que estão buscando por isso geralmente têm um perfil parecido, é o que diz estudos feitos em universidades americanas. Entre 30 e 50 anos, a maioria é bem sucedido profissionalmente, tendo níveis educacionais e financeiros acima da média. São fisicamente atraentes e possuem boas habilidades sociais. O mesmo estudo sugere que pessoas tímidas e “fracassadas” dificilmente irão trair. 

Quando investigados os porquês, a falta de intimidade emocional foi o principal fator das mulheres, com 84%. Para os homens, a falta de comunicação lidera com 68%. A falta de sexo e de paixão são 34% dos motivos. Estresses e o cansaço do dia a dia vêm em seguida para ambos, apesar de não parecer um motivo consistente. 

Está claro que, comportamentos infiéis geralmente acontecem em razão do parceiro não suprir as necessidades individuais do outro, sejam quais forem. Além de ser justificado como “normal” ou “aceitável” em boa parte dos casos. 

Entretanto, a psicologia afirma que nossos sentimentos são de responsabilidade própria, ou seja, procurar casos fora do casamento por diversões momentâneas são apenas mais desculpas para não enxergar que a insatisfação não tem a ver somente com o parceiro, mas com a relação que temos com nós mesmos. 

Mas pelos altos números, fica claro que traições não acontecem apenas em relacionamentos infelizes, há aqueles que traem por já terem uma tendência a praticar o ato, independente da relação estar indo bem ou não. Para a diretora da agência de casamentos Simantov International, Sarah Ryan, se a pessoa tem essa tendência a ser infiel, ela será. “O mais provável é que ela trairá, mesmo se estiver em um relacionamento satisfatório”, comenta. 

Isso pode acontecer em razão da pessoa acreditar que o comportamento é normal. Às vezes, aprendeu na família ou com relacionamentos passados. Se a pessoa já viveu situações em que foi traída ou teve casos na família e houve perdão, a ideia da infidelidade ser algo normal pode ter se tornado uma crença, assim, ela poderá repetir o padrão facilmente. 

E você? O que acha sobre os números e comportamentos citados acima? Será que são mesmo tão “normais” assim ou ainda espantam? 

MATÉRIAS RELACIONADAS

2.368 cães e gatos foram castrados no primeiro semestre de 2019 em Sorocaba

agita2019

Seconci-SP promove palestras de conscientização para o Dia Mundial do Doador de Sangue

agita2019

Sorocaba ganha nova clínica de estética

agita2019

Deixe uma resposta

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

%d blogueiros gostam disto: