Corpo e Saúde Estilo de Vida

BOS possui equipamento que dispensa uso de contrastes em tomografias oculares

Novo aparelho proporciona mais segurança e possibilita a realização do exame por pacientes alérgicos ao contraste ou restritos ao uso, como as gestantes.

Pessoas com doenças na retina precisam constantemente consultar um oftalmologista para acompanhamento da saúde ocular. Negligenciar as retinopatias ou tratá-las pode fazer a diferença entre perder a visão ou continuar enxergando.

Um desses exames é a angiofluoresceinografia, um tipo de “fotografia” do fundo do olho, que avalia a saúde dos vasos sanguíneos do globo ocular, conforme explica Dr. Arnaldo Furman Bordon, chefe do setor de retina e vítreo do Hospital Oftalmológico de Sorocaba (HOS). “O exame é uma angiografia que mostra um ‘mapa’ da retina e ilustra os pontos onde há alterações e que exigem atenção e acompanhamento mais detalhado”, conta.

Passar por esse procedimento é uma rotina para pessoas diabéticas ou que possuem tumores oculares, tromboses ou alterações na mácula (região central da retina, que concentra a maioria dos receptores de luz), o que pode ocasionar certo desconforto, devido à necessidade da administração de contraste para visualização dos vasos sanguíneos. “O contraste é um produto injetado na veia, até então indispensável em angiografias, pois possibilita a visualização de órgãos, tecidos e vasos sanguíneos. É uma substância muito segura, mas que, como todo produto, pode provocar reações em algumas pessoas que são alérgicas. Mulheres grávidas também não são indicadas a fazer o uso da substância”, explica o oftalmologista.

Essas restrições, por muito tempo, dificultaram ou inviabilizaram a análise do fundo de olho das pessoas do grupo de restrição, no entanto, uma novidade está fazendo desaparecer esse problema. “Trata-se de um novo equipamento adquirido pelo HOS, que dispensa o uso de contraste”, revela o chefe do setor de retina e vítreo.

O novo angiotomógrafo é capaz de mapear os vasos sanguíneos da retina, sem a necessidade do uso de contrastes injetáveis. “É um exame chamado OCTA, semelhante à angiofluoresceinografia. O novo aparelho consegue visualizar as estruturas internas do olho, mesmo sem o contraste e ajuda a dar um panorama preciso nos casos em que não é possível o uso da substância”, detalha.

Por ser uma tecnologia nova, ainda não é reconhecida pelos planos de saúde brasileiros. “Entendemos que é uma questão de tempo até ocorrer a aceitação. Um ponto que também precisa ser considerado é que, por se tratar de algo ainda em aperfeiçoamento, muitas coisas podem evoluir e serem mudadas nos próximos anos, tanto nos aparelhos, quando no resultado final do exame”, avalia Dr. Arnaldo.

Por ser um centro de referência, o grupo BOS (Banco de Olhos de Sorocaba), mantenedor do HOS, mais uma vez, sai na frente e coloca à disposição dos pacientes e médicos oftalmologistas uma nova tecnologia a serviço da saúde. “É muito importante para os oftalmologistas terem acesso ao que existe de mais avançado em termos de recursos, assim como também é excelente para o paciente que é intolerante ao contraste, pois, mesmo com a restrição, pode ser diagnosticado e tratado com o que há de melhor atualmente”, conclui o especialista.

Mais informações podem ser obtidas no site: www.bos.org.br ou pelo telefone: (15) 3212-7000. O Hospital Oftalmológico de Sorocaba está localizado na Praça Nabek Shiroma, 210, no Jardim Emília, em Sorocaba (SP).

Fonte: QNotícia

MATÉRIAS RELACIONADAS

Estúdio Cipó mostra que o home office pode estar em qualquer espaço da casa

agita2019

Semana de Proteção e Bem-Estar Animal tem início em Sorocaba

agita2019

5 mitos e verdades sobre coloração de cabelo

agita2019

Deixe uma resposta

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

%d blogueiros gostam disto: