Entretenimento Literatura

The Walking Dead: O que a série revela sobre nós

A decomposição da sociedade: relações (des)humanas

Sinopse: Os rostos são pálidos e sem expressão. Os olhos, vidrados e sem profundidade.  Os corpos se movimentam como se fossem autômatos. Eles vagueiam pelas ruas, pátios de fábricas, escritórios e muitos outros lugares em busca de algo que possa satisfazer sua fome.

Ao ler esse relato, seria natural pensar nos zumbis que povoam os cenários de filmes como o clássico A noite dos mortos-vivos, da série The walking dead ou do vídeo da música Thriller, de Michael Jackson – aquelas criaturas macabras, em estado de putrefação, que partem de suas tumbas em busca de carne humana para alimentar sua (não) existência.

Mas a descrição também cabe na dimensão da labuta repetitiva do operário, na ronda dos grupos adolescentes consumistas dentro do shopping, no semblante da executiva durante a reunião de uma multinacional diante da pressão por resultados. E é sobre esse tipo de vida-meio-morte, desprovida dos humores e fluidos que a aproximam do que há de mais fundamental em sua humanidade, que os autores reunidos nesta obra propõem reflexão.

A partir de um olhar ora político, ora psicanalítico, ora artístico, mas sempre contextualizando sobre o simbólico dos corpos sem alma, os textos reunidos por Rodrigo Gonsalves e Diego Penha em Ensaios sobre mortos-vivos, elaborados por um seleto grupo de pensadores da contemporaneidade, decompõem o conceito de decomposição para revelar o que há de comportamento zumbi nas relações humanas (ou desumanas) e nos alertar: cuidado, pois eles tão em todo lugar!

Ficha Técnica:
Título: Ensaios sobre mortos-vivos
Organizadores: Diego Penha e Rodrigo Gonsalves
ISBN: 978-85-94347-10-7
Páginas: 240
Formato: 14x21cm
  Preço: 60,00

Sobre os organizadores

Diego Penha: é psicanalista, doutorando em Psicologia Clínica pela Universidade de São Paulo (USP). Mestre em Psicologia Social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Possui graduação em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Membro do Grupo de pesquisa CNPq Sujeito, sociedade e política em psicanálise (USP) e do Laboratório Psicanálise Política e Sociedade (PSOPOL). Atualmente pesquisa as relações entre Psicanálise, Política, Arte e Horror.

Autor dos livros: Psicanálise e Cinema: filmes curam? (Zagodoni, 2018) e Teorias de Freud: Descobrindo o Inconsciente (Discovery, 2013). Editor da revista digital Lacuna: uma revista de psicanálise (lacunarevista.com). Colunista de cinema e quadrinhos para o site Mob Ground (mobground.net).

Rodrigo Gonsalves: é psicanalista. Graduado em Psicologia e Filosofia. Mestre em Filosofia pela European Graduate School (EGS) na Suíça. Doutorando (PhD) pela European Graduate School (EGS) em Filosofia, Teoria Crítica e Artes, sob a supervisão de Alenka Zupančič e Mladen Dolar.

Co-autor da obra Combate à Vontade de Potência (Annablumme, 2016) e autor do capítulo Etnicidade e Classe para o Manual de Etnicidade (Palgrave MacMillan, 2019).

Integrou o grupo de estudos de História Política da Psicanálise (USP/PUC-SP), atualmente é membro do CEII (Círculo de Estudos da Ideia e da Ideologia), participa como membro editor da revista Crise e Crítica (América Latina), membro editor do blog político Lavra Palavra (lavrapalavra.com) e integra o corpo editorial da revista virtual Lacuna: uma revista de psicanálise (lacunarevista.com).

Fonte: LC Agência

MATÉRIAS RELACIONADAS

Parque dos Espanhóis recebe encontro estadual de Motoclube

agita2019

Filme ‘Refém do Jogo’ estreia nas plataformas digitais de streaming

agita2019

Growler é versátil e sustentável!

Agita ih

Deixe uma resposta

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

%d blogueiros gostam disto: